Aqui, todos começam a ser ventos...

segunda-feira, 29 de novembro de 2010

Sobre Ventos

Vem-me aqui os pensamentos de "por que vento?"
Eis então: Vento pela maleabilidade das coisas.
Pelas permissividades...

De quando em quando, arrastar tudo sem cerimônia nenhuma, sinal algum de lucidez
VENTANIA
Ventos de boas chegadas e estadias tranquilas
BRISA
Ventos sedutores e persuasivos
SOPRO

Passar sorreteira, quase num levitar, invadindo pelo tato, sentido que mais me apetece.
Ir nessa caminhada, varrer coisas boas e ruins também.

Para onde você me soprar, eu vou lá e vôo!

3 comentários:

Felipe Martins disse...

Vai, vento, vôa.
Diz-me onde tu queres ir e eu te soprarei.
Só não te esqueces de onde tu passaste, de quem tu tocaste.
E dos arrepios que provocaste, brisa voraz!

Maurileni disse...

Amiga, Eduarda, estou profundamente feliz por você está dando continuidade ao blog, aos seus pensamentos, as suas ventanias...

Muitos ventos bons para nós, minha amiga. Muitos ventos!

AriFilho disse...

"Para onde você me soprar, eu vou lá e vôo!"

Gosto daqui, e por aqui mesmo fico, que aqui quem colhe vento é porque plantou poesia.