Aqui, todos começam a ser ventos...

quinta-feira, 23 de dezembro de 2010

Incêndio

-Olha! Aqui diz que eu sou fogo e você é agua...
-Eu não sou água, eu sou vento... E você sabe o que acontece com o fogo quando entra em contato com o vento? Dependendo do fogo ou dependendo do vento, ele pode APAGAR ou ALASTRAR.

terça-feira, 21 de dezembro de 2010

       Vamos, desça daí... Pode ser perigoso pra você e pra quem esta te esperando. Pule, pode pular! Vou te segurar, prometo que não vai se machucar.

quarta-feira, 15 de dezembro de 2010

"Hoje eu escolhi passar o dia cantando."♫

Círculo vermelho

- Se tem uma coisa que eu tenho de bonito é o seio...
Era com esse ar de quem debocha da castidade do outro e uma linda camisola vermelha que ela foi Geni. 
Amei meu bem, primeira vez que te vi interpretando.
A sutileza de como pega o copo, o cigarro. Os olhares, o ar desinteressado.
-Deixa eu fazer uma coisa, deixa? 
Vai descendo... uma paradinha... beijos incessantes nos pés.
Desde o começo dava pra sentir, ela estava devastadora.
Mas quando põe palavras no espelho, o círculo vermelho se fecha, as luzes se apagam... 
Ela sente um arrepio... 
Ela se viu Geni!

sábado, 11 de dezembro de 2010

Se acaso me quiseres...

O problema é que me conquistando você me terá, não com os mesmo quereres talvez, afinal a gente muda não é???

Mas confesso, essa minha fragilidade não é só aparente, eu quebro mesmo, sou porcelana e isso não é bom. Não é fácil....

O que importa mesmo é estar bem, ficar feliz por besteira. Não pense assim, dê mais valor aos seus sorrisos, subestimá-los é ingenuidade. Motivos nunca foram necessários. Sendo assim felicitariamo-nos pelas mesmas coisas sempre, e depois cansaríamos...

O bom é o novo, o simples. Você só veio pra me desestabilizar, acredite nunca foi tão forte, impulsivo.

Digo isso com bastante tranquilidade, nunca me culpei de meus sentires, escolhi me permitir, ainda que todos me exigissem delimitações.

Sou vento já disse,  suscetível. Amanhã talvez eu sopre para outras paisagens. Suas folhas nem se movem...

Sou vento te lambendo e você nem me nota.
Sou vento te entrando e você nem gosta...

sexta-feira, 10 de dezembro de 2010

Como são lindas! Tão vermelhas!

        
           Essa semana lembrei-me da música (do trecho) de Chico Buarque: "Todo dia ela faz tudo sempre igual..." Estava na casa da vovó sentada à mesa com ela, a tardinha, no horário de sempre, às 15:30. Ela tomando sua chícara de café com bastante leite e bolachas, que não são nem doces e nem salgadas, sentada sempre no mesmo lugar da mesa, que fica de frente a uma janelinha que dá vista para o quintal, onde tem duas frondosas aceroleiras. Esperei que ela comesse tudo e, como sempre, me pedisse mais um pouco de café, dessa vez sem leite e após isso chamar a minha atenção e dizer: 
          -Olha como são lindas as acerolas! Tão vermelhas!
         Todos os dias ela me mostrava, mas fora a primeira vez que de fato observei como eram lindas as acerolas, tão vermelhas! Fiquei feliz por ter visto o que tanto queria me mostrar. Ficamos as duas lá, olhando as acerolas, eu a primeira vez, ela incontáveis vezes, com os mesmos olhos.

terça-feira, 7 de dezembro de 2010

La niña



E ao ouvi-la falar  coisas de meninice, ainda de costas,
 abriu um sorriso que tinha um misto de malícia e doçura.
Virou-se, olhou-a fortemente, como gostava de fazer, 
quase que lhe invadindo o íntimo, e disse:
IMAGINE QUANDO VIRAR MULHER!




quarta-feira, 1 de dezembro de 2010

É assim?


Mas o que queria que eu dissesse?
Aquele meu "tchau" contido era pra te deixar, já que você de repente pára, e são essas suas pausas que eu não acompanho.
Pego na tua mão e tento te levar comigo nessa minha corrida compassada.  Mas você de repente pára.
E eu como não consigo, continuo a correr nessa estrada do sem-sentido. Me pego não mais buscando e sim fugindo. Fugindo do meu não te resistir e da minha vontade de te acariciar... 
Sem pressa e sem primeiras intenções.

- É assim?
-Não, não é assim!