Aqui, todos começam a ser ventos...

domingo, 9 de janeiro de 2011

Uma cartinha.

      Recebi uma linda carta da amiga Maurileni, de imediato imaginei uma carta como as outras, tipo texto, mas ela é poesia e não poderia ser convencional. Um monte de triângulos e lindas mensagens. Olha, esse é o meu sinal, amei, alma castanha sempre me surpreende!
      Adorei os desenhos, deu vontade de pegar todos os balões e voar presa nas linhas, alçada em palavras significativas.       
       Lembrei de um monte de coisas como o meu estranhamento ao te ouvir me chamar de Duda, todos me chamam assim, mas vindo de você, parece que não sou eu. Você me fez Eduarda, assim como vento. Nós vento... Vi que, em seus dizeres encaixados, falavas de ti também, fiquei confusa com alguns verbos conjugados no pretérito, mas entendi que as coisas acontecem por uma razão, na sua maneira de ser ou de des-ser.
      Cantarei pra você, contarei histórias, te farei um afago, nossa amizade é linda!
      É amor o que te tenho.






     Você sol, eu ainda vento.

Um comentário:

Maurileni Moreira disse...

Você vento, eu ainda sol.
Quando seremos aquela explosão possível de sol e vento?
O que também tenho é Amor.
Vamos pra Argentina!!!!!!!!!!!! kkkkk